Foto Renata

Renata Bueno

Nascida em Curitiba, Paraná, estudou Canto no Conservatório de Música e Belas-Artes do Paraná. Aperfeiçoou seus estudos com o Maestro Alessandro Sangiorgi e com as cantoras Rosana Lamoso, Mirna Rubin, Neydi Thomas, Denise Sartori, Roseli Schunemann, Marília Vargas, Simone Foltran, André Vidal, Josiane Dal Pozzo e Luisa Gianini.

Entre 2007 e 2009 foi agraciada com o Prêmio Especial Revelação, no 8º Concurso Brasileiro de Canto Maria Callas e participou como doppioni de Virginia, na ópera “O Fantasma de Canterville”, de Jaime Zenamon, sob regência do autor. Atuou como solista nas óperas “Rigoletto”, de Giuseppe Verdi e “L’enfant et le Sortilèges”, de Maurice Ravel, interpretando o Pagem e Bergère, respectivamente. Realizou turnê no Brasil com o Madrigal Paidéia, pelo projeto Sonora Brasil do SESC, cantando o repertório de Villa Lobos sob regência do Maestro Emanuel Martinez.

Em 2011 atuou como interprete no projeto Chiquinha Gonzaga no SESC Água Verde, Curitiba. Neste mesmo ano realizou turnê pela Europa em cidades da Polônia e em São Petersburgo, na Rússia, cantando o repertório de vários compositores brasileiros, bem como folclore polonês e russo. Já em 2012, estreou a ópera “Le Nozze di Fígaro” interpretando Suzanna, no Festival de Teatro de Curitiba. Interpretou Suzel, na ópera “L’amico Fritz”, realizada na Capela Santa Maria pelo projeto Ópera Popular, bem como no Festival de Teatro de Curitiba (Abril 2013).

No ano de 2013 interpretou João, na ópera “Hunsel und Gretel” . Idealizou o projeto “Pucciniana” (2013/2014), em que interpreta diversas árias de Giacomo Puccini, desnudando as heroínas do compositor ao adicionar poemas escritos pelo italiano no processo de criação das personagens.

No ano seguinte (2014), atuou no papel de Nella, na ópera “Gianni Schicchi”, de Puccini. Participou do Concerto de Natal da Universidade Positivo nos anos de 2010, 2012, e em 2014 como solista ao lado de Toquinho. Além disso, atuou como solista no Coral da Itaipu nos Concertos de Natal dos anos de 2009 e 2014.

Em Abril de 2015, no Festival de Teatro de Curitiba, voltou a atuar como Mimi, na ópera “La Bohème”, de Puccini, personagem que já havia interpretado em apresentações nos anos de 2010 e 2012.

Em Agosto do mesmo ano atuou como solista no papel de Salomé, na Opereta Marumby, obra do paranaense Benedito Nicolau dos Santos, a qual retrata os costumes e a diversidade cultural da cidade de Curitiba, primeiro quarto do século XX.

Ao longo de 2016 participou do Concurso Prelúdio, promovido pela Fundação Padre Anchieta através da TV Cultura, onde mostrou seu talento em rede nacional. Em agosto do mesmo ano realizou Concerto ao lado do grande compositor, violonista e Maestro Jaime Zenamon no 25º Internationale Gitarrenfestival, em Kühlungsborn/Alemanha, cantando obras de Garcia Lorca, Villa Lobos, Jaime Zenamon e de outros compositores brasileiros e estrangeiros.